fbpx
Cidade Velha de Jerusalém conclui projeto de acessibilidade

Cidade Velha de Jerusalém conclui projeto de acessibilidade

Peregrinos e turistas com deficiência e mobilidade reduzida podem visitar Jerusalém com segurança e conforto

Conhecida por suas muralhas e monumentos religiosos emblemáticos, a Cidade Velha de Jerusalém, em Israel, se tornou uma das cidades antigas mais acessíveis do mundo. Assim, peregrinos e turistas com deficiência e mobilidade reduzida podem visitar o local com segurança e conforto e percorrer a Via Dolorosa, que representa a rota feita por Jesus no caminho da crucificação. 

Planejamento e desafios do projeto de acessibilidade em Jerusalém

A fase de planejamento do projeto “Cidade Velha de Jerusalém Acessível” levou cinco anos e envolveu diversos mapeamentos da área histórica. No total, foi necessária uma década de trabalho, além de investimentos de mais de R$ 32 milhões para concluir as obras de acessibilidade nos 6 km de vielas da Cidade Velha.

O projeto contou com a cooperação de comerciantes e moradores da área e teve início na Porta dos Leões, que marca o início da Via Dolorosa. Esse era o lugar que apresentava mais obstáculos ao deslocamento de pessoas com cadeiras de rodas e carrinhos de bebê, além de ambulâncias, caminhões de bombeiros e veículos de coleta de lixo.

O projeto tornou-se ainda mais desafiador pelo fato de que a Cidade Velha e suas muralhas são consideradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). Isso quer dizer que todas as intervenções físicas realizadas no local precisaram ser acompanhadas por equipes de monitoramento e conservação. 

Outro aspecto que também teve que ser levado em consideração durante o período de obras foi a rotina do lugar. O objetivo era não atrapalhar o dia a dia dos moradores nem impedir o acesso de milhões de turistas e devotos que visitam todos os anos a Cidade Velha e suas muralhas sagradas. 

As melhorias do projeto

Apesar do trabalho árduo, o projeto garantiu que a Cidade Velha se tornasse acessível a pessoas com cadeiras de rodas e carrinhos de bebê e a caminhões de bombeiros e de coleta de lixo. Além disso, pequenos veículos elétricos passaram a circular pelas diversas vielas do lugar, transportando com segurança e conforto pessoas com deficiência e idosos.

acessibilidade em jerusalem

As obras de acessibilidade incluíram a renovação do pavimento; o planejamento e a construção de rampas de acessibilidade; a instalação de 14 banheiros acessíveis com sinalização e de 2 km de corrimãos ao longo de escadas e paredes, assim como as adaptações nas entradas de comércios e residências.

Também foram realizados ajustes no cabeamento e na instalação de ar-condicionado, a substituição da infraestrutura subterrânea, incluindo esgoto, e a pintura de fachadas e toldos. As obras de acessibilidade fazem parte de um projeto mais amplo que visa fortalecer a Cidade Velha e transformá-la em um atrativo para visitantes de todo o mundo.

Além das intervenções físicas, o projeto incluiu o desenvolvimento do aplicativo JLM Acessível, que pode ser encontrado no Google Play e na App Store. Disponível em nove idiomas, ele mapeia as rotas acessíveis dentro da Cidade Velha e facilita o deslocamento de turistas e peregrinos. 

Se você quer ficar por dentro de outras iniciativas de acessibilidade, siga a página do Guiaderodas no Instagram e acompanhe o nosso blog!


Carina Melazzi

Carina Melazzi
Jornalista e produtora de conteúdo. Gosta de contar histórias e é apaixonada por viagens, montanhas e mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.