Caderneta do SUS para pessoas com doenças raras orienta pacientes e familiares

Caderneta do SUS para pessoas com doenças raras orienta pacientes e familiares

O documento traz informações sobre tratamentos e dicas para uma vida mais saudável

De acordo com o Ministério da Saúde, há cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil com alguma doença rara. Para orientar familiares, cuidadores e pacientes que convivem com essa condição de saúde e buscam atendimento especializado no Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde criou a caderneta do raro.

O documento apresenta os principais sinais e alertas que podem indicar a existência de uma doença rara e traz informações sobre tratamentos e dicas para uma vida mais saudável. Na caderneta, também ficam registradas informações de educação, de assistência multidisciplinar e de atendimentos nos serviços de saúde, que servem como um acompanhamento do paciente ao longo da vida.

Além dessa iniciativa, o Ministério da Saúde instituiu, em 2014, por meio da Portaria nº 199, a política nacional de atenção integral às pessoas com doenças raras. Esse é um importante instrumento de apoio às redes de atenção à saúde, que garante acesso universal aos meios diagnósticos e terapêuticos disponíveis no SUS.

Os objetivos incluem reduzir a mortalidade, contribuir para a diminuição da morbimortalidade e das manifestações secundárias e melhorar a qualidade de vida das pessoas, por meio de ações de promoção, prevenção, detecção precoce, tratamento oportuno e redução de incapacidade e cuidados paliativos. Dessa forma, é possível integrar e articular todos os pontos de atenção à saúde.

Centro Nacional de Tecnologias proporciona autonomia e inclusão social para pessoas com deficiência e doenças raras

O que são doenças raras?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), doenças raras são aquelas que afetam até 65 pessoas em cada grupo de 100 mil indivíduos, ou seja, 1,3 pessoas para cada 2 mil indivíduos. Geralmente, elas são crônicas, progressivas, degenerativas e muitas vezes com risco de morte. Em todo o mundo, são cerca de 300 milhões de raros e cerca de 6 mil a 8 mil tipos de doenças diferentes conhecidas. 

Alguns exemplos são:

– acromegalia;

– angioedema;

– doença de Crohn;

– doença falciforme;

– esclerose múltipla;

– fibrose cística;

– hepatite autoimune;

– hipertensão arterial pulmonar;

– hipotireoidismo congênito;

– lúpus eritematoso sistêmico;

– mieloma múltiplo;

– osteogênese imperfeita;

– síndrome de Cushing;

– síndrome de Guillain-Barré.

Do total de doenças raras conhecidas, 80% são de origem genética e 20% de causas infecciosas, virais ou degenerativas. A maioria dos casos é diagnosticada tardiamente, por volta dos 5 anos de idade, sendo que 75% ocorrem em crianças e jovens. Em 95% das doenças, não há tratamento, restando somente os cuidados paliativos e serviços de reabilitação.

Se você quer ficar por dentro de outras iniciativas de acessibilidade, siga a página do Guiaderodas no Instagram e acompanhe o nosso blog!


Carina Melazzi

Carina Melazzi
Jornalista e produtora de conteúdo. Gosta de contar histórias e é apaixonada por viagens, montanhas e mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.