Equoterapia: o que é e quais são seus benefícios?

Equoterapia: o que é e quais são seus benefícios?

O método apresenta uma abordagem multidisciplinar e busca o desenvolvimento biopsicossocial dos praticantes

Os diversos tratamentos voltados para pessoas com deficiência contribuem com sua inclusão na sociedade e reabilitação psíquica e físico-motora. Os mais conhecidos incluem fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, pedagogia e fonoaudiologia, mas há outros métodos terapêuticos que também oferecem vários benefícios, como a equoterapia.

Neste artigo, você vai entender como funciona esse método de reabilitação, quem deve praticá-lo e quais as suas principais vantagens para pessoas com deficiência. Continue a leitura! 

O que é equoterapia?

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência.

A palavra equoterapia foi criada pela Ande-Brasil (Associação Nacional de Equoterapia), a fim de caracterizar todas as práticas que utilizam o cavalo com técnicas de equitação e atividades equestres, visando à reabilitação e à educação de pessoas com deficiência.

As sessões de equoterapia podem ser realizadas em grupo, mas o planejamento e o acompanhamento precisam ser individualizados. Além disso, o atendimento só deve ser iniciado após um parecer favorável de avaliação médica, psicológica e fisioterápica. 

A prática da equoterapia é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) e pela Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). 

Quais os benefícios da equoterapia?

A equoterapia oferece diversos benefícios, principalmente para pessoas com deficiência. Entre eles estão o aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio, o fortalecimento da musculatura, a conscientização do próprio corpo, a memória, a independência, a percepção visual e auditiva e a melhora na respiração. 

Durante as sessões, o aspecto social também é trabalhado, e os praticantes conseguem desenvolver novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima, bem como estabelecer vínculos afetivos mais fortes.  

Quem deve fazer equoterapia?

De acordo com a Ande-Brasil, como a equoterapia proporciona benefícios físicos, psíquicos, educacionais e sociais, ela é indicada para os seguintes quadros clínicos:

  • doenças genéticas, neurológicas, ortopédicas, musculares e clínico metabólicas;
  • sequelas de traumas e cirurgias;
  • doenças mentais, distúrbios psicológicos e comportamentais;
  • distúrbios de aprendizagem e linguagem.

Regulamentação da equoterapia

Em 2019, foi sancionada a Lei nº 13.830, que regulamenta a equoterapia como método de desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência. A legislação estabelece que a prática deve ser exercida por uma equipe multiprofissional, composta por médico, médico veterinário e profissionais como psicólogo, fisioterapeuta e de equitação.

Dependendo dos objetivos do programa de equoterapia, também podem fazer parte da equipe pedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e professores de educação física, desde que tenham curso específico na área. Além disso, deve haver um acompanhamento das atividades desenvolvidas pelo praticante, por meio de um registro periódico, sistemático e individualizado.

Para ficar por dentro do universo da acessibilidade, siga a página do Guiaderodas no Instagram e acompanhe nosso blog!


Carina Melazzi

Carina Melazzi
Jornalista e produtora de conteúdo. Gosta de contar histórias e é apaixonada por viagens, montanhas e mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.