Programa TEAtivo garante o acesso à prática de atividades físicas e de lazer a jovens autistas

Programa TEAtivo garante o acesso à prática de atividades físicas e de lazer a jovens autistas

A iniciativa contribui para a efetivação dos direitos de crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista

No primeiro semestre de 2022, a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Nacional do Paradesporto (SNPAR), lançou o Programa TEAtivo, instituído pela Portaria MC nº 760. A iniciativa oferece às crianças e aos adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), na faixa etária entre 5 e 18 anos, o acesso gratuito a atividades físicas, esportivas e de lazer.

O programa faz parte de uma política pública nacional inédita, que contribui para o desenvolvimento psicomotor e a efetivação dos direitos e a construção da cidadania de jovens com TEA. Além disso, ele possibilita a capacitação de professores de educação física, por meio do aperfeiçoamento de técnicas e práticas pedagógicas.

Os dois primeiros núcleos do TEAtivo serão implementados em Goiânia e no município de Tanguá, no Rio de Janeiro, e cada um vai beneficiar 300 pessoas. Até o final do ano, o objetivo é que a iniciativa atenda 2.600 crianças e adolescentes, totalizando um investimento de mais R$ 1,7 milhão.

O Programa TEAtivo foi estabelecido por meio de convênios, termos de fomento e termos de execução descentralizada (TEDs) entre a Secretaria Especial do Esporte (SEESP) e diversos parceiros, incluindo governos estaduais, municipais e organizações do terceiro setor.

A metodologia do TEAtivo

O Programa TEAtivo utiliza a metodologia de Rodrigo Brivio, especialista em atividades físicas voltadas para crianças com Transtorno do Espectro Autista. O método reúne equipamentos de ginástica artística, brincadeiras e exercícios de propriocepção, que estão associados à capacidade do corpo avaliar sua própria posição, com o objetivo de manter o equilíbrio quando está parado, em movimento ou realizando algum tipo de esforço.

Fonte: Governo Federal

Por se tratar de uma síndrome que impede o amadurecimento integral de habilidades sociais, motoras e de comunicação, a metodologia e os equipamentos utilizados nos centros de atendimentos especializados do TEAtivo vão contribuir para o desenvolvimento neuropsicomotor dos participantes. Eles também favorecem a educação para a prática esportiva, assim como o bem-estar e a integração social de pessoas com TEA. 

Além de ceder a metodologia, Brivio vai capacitar os profissionais que atuarão nos dois núcleos do TEAtivo. Para garantir a execução adequada das atividades, o programa prevê a contratação de profissionais de educação física, supervisor pedagógico, coordenador pedagógico, estagiários e fisioterapeutas.

O núcleo de paradesporto do TEAtivo pode ser estabelecido em escolas ou em espaços comunitários públicos ou privados. Já as atividades são desenvolvidas como complemento escolar, e os espaços físicos devem estar em conformidade com as práticas paradesportivas.
Para ficar por dentro de outras iniciativas de acessibilidade no Brasil e no mundo, siga a página do Guiaderodas no Instagram!


Carina Melazzi

Carina Melazzi
Jornalista e produtora de conteúdo. Gosta de contar histórias e é apaixonada por viagens, montanhas e mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.