fbpx
Ipatinga é a primeira cidade de Minas Gerais a oferecer parque inclusivo

Ipatinga é a primeira cidade de Minas Gerais a oferecer parque inclusivo

O projeto do parque inclusivo conta com brinquedos adaptados que possibilitam a interação entre crianças com e sem deficiência

Para garantir o direito ao lazer de todas as crianças e promover a acessibilidade em praças públicas, a cidade de Ipatinga, em Minas Gerais, oferece desde outubro de 2021 o primeiro parque inclusivo do estado. O playground está localizado no Parque Ipanema, e a instalação dos equipamentos contou com a participação da iniciativa privada. 

Crianças com e sem deficiência podem interagir em seis brinquedos adaptados, incluindo gangorra, balanço, gira-gira, além de uma área interativa com três painéis, que contam com um pictograma para comunicação alternativa, um xilofone e um jogo da velha sensorial. 

Parque Ipatinga

Av. Roberto Burle Marx, s/n – Veneza, Ipatinga – MG, 35162-511

A iniciativa faz parte da expansão do projeto “Duda Nalini”, que surgiu em Ribeirão Preto e pela primeira vez ultrapassou as fronteiras do estado de São Paulo. A prefeitura de Ipatinga abraçou a proposta de promover inclusão e acessibilidade a todos e, em três meses, o playground adaptado foi entregue às crianças do município. 

Projeto Duda Nalini

O projeto “Duda Nalini” tem o objetivo de garantir o direito ao lazer de todas as crianças, por meio da mobilização de voluntários, apoiadores e do poder público. Idealizada por Selma Nalini, a iniciativa foi batizada em homenagem à sua filha, Maria Eduarda Nalini, que nasceu com síndrome de Dandy-Walker, uma malformação do cérebro. 

Por conta das limitações de Duda, Selma teve a ideia de instalar balanços, gira-giras e gangorras adaptados, para que sua filha e outras crianças com deficiência pudessem brincar nas praças e parques de Ribeirão Preto.

Com autorização da prefeitura e doações de empresários, ela revitalizou playgrounds em cinco áreas públicas: Parque Dr. Luis Carlos Raya, Parque Tom Jobim, Über Parque Sul Roberto Francói, Praça da Bicicleta e Praça Ali Youssef Abou Hamin.

Apesar de Selma ter entrado em contato com empresários da cidade e pedido doações, desde 2017 existe a Lei nº 13.443. Ela estabelece a obrigatoriedade da oferta, em espaços de uso público, de no mínimo 5% de brinquedos adaptados para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Para conscientizar os alunos sobre a importância dos espaços públicos, Selma também visita escolas e leva palhaços às praças para orientar as crianças sobre como preservar os brinquedos. Além de instalar os equipamentos adaptados nos playgrounds de Ribeirão Preto, ela reformou bancos e lixeiras, construiu rampas de acesso, trocou a grama e refez a pavimentação, para facilitar a locomoção de cadeiras de rodas e carrinhos de bebês. 

Se você quer ficar por dentro de outras iniciativas de acessibilidade no Brasil, siga a página do Guiaderodas no Instagram e o nosso blog!


Carina Melazzi

Carina Melazzi
Jornalista e produtora de conteúdo. Gosta de contar histórias e é apaixonada por viagens, montanhas e mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.