fbpx
Tecnologias Assistivas para pessoas com Tetraplegia

Tecnologias Assistivas para pessoas com Tetraplegia

Recursos tecnológicos favorecem o acesso a computadores, tablets e smartphones e mudam a vida de pessoas com deficiência física severa

Embora não apresentem comprometimento da comunicação oral, tanto para a compreensão quanto para a expressão, pessoas com tetraplegia deparam-se com restrições para a execução de atividades relacionadas ao movimento.

Diante das limitações enfrentadas, poder acessar computadores, tablets e smartphones é fundamental para que essas pessoas tenham acesso à informação, trabalho, lazer, participação em redes sociais, além de favorecer seu contato com o mundo.

O acesso a computadores também pode permitir que pessoas com ausência de movimentos de membros superiores e inferiores, desfrutem de momentos privativos, já que na maior parte do tempo estão acompanhados de um cuidador. 

A identificação da interface para uso do computador que melhor se adequará ao quadro motor e cognitivo do usuário consiste em uma das etapas mais usuais e primordiais do atendimento, levando-se em consideração o uso desejado e os contextos de vida do usuário. 

Existem poucas opções de interfaces para computador e outros recursos de TA para acesso a computadores no mercado brasileiro e seu custo ainda é elevado. Diante dessa realidade, uma equipe de profissionais da Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação composta por engenheiros, desenhistas industriais, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, vem desenvolvendo, há vários anos, possibilidades de recursos alternativos para substituição do mouse e teclado convencionais do computador.

Vale enfatizar que a participação e a opinião dos usuários acompanhados na instituição têm sido fundamentais no aprimoramento desses recursos. Equipamentos e soluções de TA utilizados para acesso a computadores podem ser categorizados, de forma genérica, como recursos de baixa ou alta tecnologia. 

Recursos de baixa tecnologia são aqueles de menor custo e de baixa complexidade, já os recursos de alta tecnologia consistem nos equipamentos de custo elevado e maior complexidade. 

De acordo com essa distinção, os exemplos de recursos de baixa TA compreendem as órteses e hastes como adaptações de auxílio à digitação. Já os dispositivos eletrônicos, como softwares e interfaces para computadores, são exemplos de recursos de alta tecnologia. 

Existe grande variedade de recursos que podem auxiliar indivíduos com tetraplegia e consequente limitação motora em membros superiores. 

Recursos de baixa tecnologia que auxiliam pessoas com tetraplegia no uso de computadores

clip palmar tetraplegia

Clipe Palmar

O clipe palmar consiste em uma órtese indicada para pessoas com diminuição da função de preensão manual, incluindo pessoas com tetraplegia, que, dependendo do nível de lesão, apresenta fraqueza da musculatura extensora do punho, mão e dedos, dificultando ou impossibilitando o uso de talheres e outros utensílios, assim como a digitação em teclados convencionais de computadores. A estrutura principal deste recurso consiste em um tubo emborrachado fixado a uma tira de PVC em formato “U”, tracionado à palma da mão através de correias em velcro. O tubo emborrachado é utilizado para encaixar utensílios como talheres ou hastes para digitação.
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


haste digitacao tetraplegia

Hastes para digitação

As hastes para digitação são compostas por borracha acoplada à extremidade de um tubo de madeira e promovem as funções de prolongar e ampliar os movimentos produzidos na extremidade oposta à borracha. São comumente utilizadas para digitação ou como passador de páginas. Mais recentemente, esse recurso tem sido utilizado para manipulação de telas sensíveis ao toque, com a substituição da borracha pela caneta com ponta capacitiva. 
A haste para digitação pode ser fixada a um clipe palmar, a uma adaptação cefálica ou adaptação mentoniana, ou fixando-a entre os lábios ou dentes, de acordo com a preferência e o nível funcional do usuário.
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


adaptação tetraplegia

Adaptação para estabilização do dedo 

Esse recurso tem por objetivo estabilizar as articulações para favorecer o uso de teclado de computadores. É confeccionada em PVC, pode ter tamanhos diferentes e serem personalizadas para ajuste ao usuário.
Fonte: http://www.mnsuprimentos.com.br/menu/?p=658


Recursos de alta tecnologia que auxiliam pessoas com tetraplegia no uso de computadores

Sensor de Proximidade 

Os sensores de proximidade consistem em acionadores de pressão sensíveis ao toque. Por não utilizarem tecnologia mecânica, apresentam resistência superior a impactos mecânicos.
Podem ser utilizados em conjunto com outras interfaces, como joysticks, softwares que possuem teclados virtuais com recurso de varredura, além do uso com jogos de computador. Seu uso é indicado tanto para indivíduos com quadro de fraqueza muscular, como para indivíduos com movimentos espásticos.
Possuem carenagem confeccionada em resina plástica, o que permite melhor higienização, especialmente nos casos em que seu acionamento se faz através do contato do lábio ou da língua.
Sensor de proximidade acoplado à haste de fixação para a cadeira de rodas desenvolvido na Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


joystick tetraplegia

Joysticks 

Joysticks permitem controle multidirecional, sendo um dos recursos mais indicados para substituição do mouse convencional do computador. O joystick modelo proporcional tem sinais contínuos, ou seja, qualquer movimento de controle manual resulta em resposta imediata na direção desejada. Desta forma, o usuário pode controlar, não somente a direção do movimento, mas também a intensidade desse movimento.
Os joysticks podem ser posicionados próximo ao segmento corporal mais funcional do usuário, através de hastes com regulagem de altura para facilitar seu uso.
Joystick com controle mentoniano e sensor de proximidade para acionamento com a face desenvolvidos na Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


mouse esfera tetraplegia

Mouse com Esfera Estacionária 

Também conhecido como mouse trackball, este recurso possui uma esfera utilizada para o direcionamento do cursor e é frequentemente utilizado por pessoas que não conseguem usar o mouse comum. 
Assemelha-se a um mouse invertido, pois possui uma esfera acoplada a uma base estacionária, podendo ser acionado com o queixo. Sua fixação normalmente é feita na cadeira de rodas, através de hastes metálicas ajustáveis para permitir melhor posicionamento e diminuir o esforço do usuário.
Mouse mentoniano sensível ao toque desenvolvido na Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação 
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


touchmouse tetraplegia

Touchmouse e Touchscreens 

Diante do comprometimento da força muscular dos membros superiores, especialmente de mãos e dedos, é comum que pessoas com tetraplegia utilizem notebooks, smartphones ou tablets, pelo fato desses equipamentos possibilitarem o acionamento através do leve toque.
Assim, os computadores e celulares com touchmouse e touchscreen consistem em alternativas viáveis de acesso a computadores.
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação


dragon tetraplegia

Dragon Assistant 

Lançado em 2014, esse software gratuito permite que o usuário controle várias funções do computador através do comando de voz, possibilitando o ditado direto, controle de mídia, redes sociais e e-mail.
Esta tecnologia é indicada para situações em que o usuário necessita escrever textos longos e a digitação com o teclado convencional acarretaria em grande esforço e baixo rendimento.
Fonte: Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação 


HeadMouse 

O HeadMouse é uma solução tecnológica que capta os movimentos faciais do usuário, replicando-os sobre um teclado digital. O programa trabalha em conjunto com qualquer webcam, que detecta estes movimentos e os transmitem para o mouse. Permite que pessoas com mobilidade reduzida controlem o cursor do mouse pelos movimentos da cabeça. O software interpreta funções, como “arrastar arquivos”, por gestos faciais e piscar de olhos. Normalmente é utilizado em conjunto com um teclado virtual, que favorece a redação de textos sem a necessidade de utilizar as mãos, mediante suas funções já mencionadas. http://eftm.com.au/2015/10/life-can-change-in-an-instant-how-technology-canhelp-23092 


Teclados Virtuais

O teclado virtual é um software que permite entrada de texto em programas de computador de maneira alternativa ao teclado convencional. A maioria se baseia em receber cliques do mouse sobre uma imagem de teclado. A imagem clicada é convertida para um caractere de texto, que é escrito na tela do editor. Existem várias opções de teclados virtuais gratuitos e compatíveis com os diversos sistemas operacionais. Muitos ainda dispõem da função de predição de palavras, o que favorece a velocidade da escrita do usuário. 
Fonte: TechTudo


Comandos Visuais Simplificados

Alguns aplicativos dispõe de uma interface pensada para pessoas com deficiências motoras graves, em especial tetraplegia e distrofia muscular. Um exemplo é o App Guiaderodas, dedicado a consulta e avaliação da acessibilidade de locais pelo mundo que conta com a colaboração de pessoas com e sem deficiência. Para evitar o esforço do usuário com deficiência física severa, a pesquisa sobre as condições de acessibilidade dos locais pode ser respondida pelo acionamento de figuras intuitivas sem ter que digitar textos.

Fonte: Tese apresentada por Valéria Baldassin ao Programa de Pós-Graduação em Bioética da Universidade de Brasília, como parte dos requisitos para a obtenção do título de Doutor em Bioética.

https://repositorio.unb.br/handle/10482/23400

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *