fbpx
Museu da Língua Portuguesa amplia recursos de acessibilidade

Museu da Língua Portuguesa amplia recursos de acessibilidade

Além de um sistema de sinalização, comunicação, mediação e mobilidade, espaço oferece novas experiências aos visitantes

Depois de uma espera de seis anos, os paulistanos têm de volta uma das suas maiores atrações culturais: o Museu da Língua Portuguesa. Reaberto em 31 de julho, o local voltou a receber o público e está com novidades em relação à acessibilidade. A seguir, confira os recursos adotados pelo espaço que oferecem um passeio proveitoso e seguro a todos.

Acessibilidade no Museu da Língua Portuguesa

“O Museu da Língua Portuguesa tem hoje muito mais recursos de acessibilidade física e de conteúdo, organizados em um sistema que abrange sinalização, comunicação, mediação e mobilidade”, conta Larissa Graça, gerente de Patrimônio e Cultura da Fundação Roberto Marinho. Junto com o Governo do Estado de São Paulo, a instituição tocou a reconstrução do Museu.

Rota acessível, piso podotátil, mapas táteis e sinalização tátil e em braile estão à disposição do público. “O Museu também conta com jogos multissensoriais e objetos para toque, organizados em nichos ao longo do espaço expositivo. Videoguias em Libras também estarão disponíveis”, destaca Larissa.

Madeira reaproveitada do incêndio que ocorreu em 2015 também serviu para a construção de uma maquete tátil da Estação da Luz, à disposição do público. O prédio histórico onde fica localizado o Museu foi aberto em 1901, e servia como uma das portas de entrada dos imigrantes no Brasil. Hoje, além de abrigar um dos primeiros museus do mundo dedicados a um idioma, a Estação da Luz está entre os principais cartões postais de São Paulo.

Experiências para todos

O Museu da Língua Portuguesa conta com exposições temporárias e de longa duração. E, em todas elas, recursos de acessibilidade estão presentes, como conta Marília Bonas, diretora técnica do Museu.

“A acessibilidade é uma questão desde o começo da concepção da exposição”, assegura.

Ela explica que os responsáveis pela expografia desenham cada exposição contemplando a acessibilidade física. Mas, além dela, o objetivo é garantir experiências para todos. “A ideia também é que a gente possa ter sempre roteiros específicos para diferentes necessidades”, completa.

Para a exposição principal, o público já conta com um percurso tátil. “Obras táteis foram especialmente criadas por artistas como Guto Lacaz, André Damião e Natália Scromov, inspirados na exposição principal”, conta Larissa. “São denominados como elementos de mediação multissensoriais e dirigidos prioritariamente a pessoas com deficiência visual e auditiva, mas ficam disponíveis para todos os visitantes que desejem se relacionar por meio de outros sentidos com os temas da exposição principal.”

Assessoria prática

Para garantir que todos esses recursos contribuam de fato com o público, Larissa conta que foram feitos estudos e testes. “O desenvolvimento do sistema de acessibilidade teve duas etapas. Primeiro foram feitas pesquisas, visitas técnicas, seminários e grupos de trabalho com pessoas com deficiência. Na segunda etapa, a implementação, desenvolvida em 2020, contou com a participação de mais de 40 profissionais, como artistas, educadores e consultores em acessibilidade.”

Na rede

Para completar, os recursos digitais do Museu da Língua Portuguesa também contam com acessibilidade. O novo site do espaço foi desenvolvido seguindo as diretrizes, padrões e metodologias do W3C, do WCAG 2.0 e do e-MAG, o modelo de acessibilidade web do governo brasileiro. 

Já o aplicativo do Museu está disponível em quatro navegações: português com audiodescrição, Libras e audioguias em espanhol e inglês. Lembrando que os visitantes contam com Wi-Fi gratuito no espaço, podendo aproveitar o passeio conectados.
Gostou de saber mais sobre a acessibilidade no Museu da Língua Portuguesa? Confira mais dicas de passeios imperdíveis no nosso guia de roteiro acessível, opções não vão faltar!


Luciana Faria

Luciana Faria
Escolheu o jornalismo para fazer da paixão por contar histórias sua profissão. Há mais de uma década no mercado editorial e poeta desde a infância, acredita que a palavra também pode transformar as pessoas e mudar o mundo!

Um Comentário

  1. 01/11/2021 no 00:50 am

    […] partir de 31 de julho, o Museu da Língua Portuguesa, alocado na Estação da Luz, abrirá as portas pela primeira vez após o incêndio que ocorreu em […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir mensagem
);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.