fbpx
Os benefícios do esporte para pessoas com autismo

Os benefícios do esporte para pessoas com autismo

O esporte pode ter um papel fundamental para o desenvolvimento das crianças com autismo, desde o aspecto físico até o intelectual.

Abril é considerado o mês da Conscientização Mundial do Autismo. O Transtorno do Espectro Autista (TEA) atinge uma a cada 54 crianças no mundo e, no entanto, ainda é pouco conhecido pela maioria da população, dificultando o diagnóstico e os tratamentos. Nesse sentido, o esporte pode ter um papel fundamental para o desenvolvimento das crianças com autismo, desde o aspecto físico até o intelectual. 

“As atividades esportivas vêm ganhando muito espaço para trabalhar a inclusão das crianças com TEA. Elas ajudam muito no entrosamento e no aprendizado relacionado a adequação de comportamentos através dos exercícios físicos, além de percebermos uma grande evolução cognitiva e do condicionamento físico dessas crianças”,

explica a psicóloga Margarete Castilho ao Guiaderodas. 

A realização de movimentos frequentes também ajuda na conscientização da postura corporal, do equilíbrio, da coordenação motora, além de aumentar a noção de tempo e espaço. Isso sem falar nos ganhos de comunicação e interação social, além do sentimento de pertencimento proporcionados pelo estímulo e relacionamento com outras pessoas e ambientes. 

esporte para pessoas com autismo

A psicóloga ressalta ainda que não há idade para começar a praticar alguma modalidade e que existem várias opções de esportes para as crianças com autismo, como a natação e o hipismo, que trabalham bastante a parte sensorial da pessoa. E salienta a importância de se ter um acompanhamento profissional e qualificado durante as atividades.

“Muitas coisas que a maior parte das pessoas aprende de forma intuitiva, apenas observando, são difíceis de serem entendidas por pessoas com TEA. Por isso é importante que as instruções para elas sejam direcionadas de forma simplificada, com linguagem concreta e racional, por profissionais capacitados para este tipo de trabalho”,

completa a psicóloga. 

Judô Para Todos

Uma modalidade em especial vem crescendo bastante no Brasil e no mundo: o judô inclusivo ou judô DI (judô para deficientes intelectuais). Em termos de alto rendimento, pessoas com autismo ainda não podem competir, já que este esporte é destinado somente para deficientes visuais. Mas o novo segmento, ainda que não “oficial”, surge como uma alternativa.

João Vitor Ferreira esporte para pessoas com autismo
João Vitor Ferreira, no meio, e Giovanni à direita (Reprodução/Facebook)

Você provavelmente não sabe, mas o Brasil tem, inclusive, um campeão mundial de judô inclusivo: o catarinense João Vitor Ferreira. Em 2017, foi realizado o primeiro Campeonato Mundial de Judô Para Deficientes Intelectuais chancelado pela Federação Internacional de Judô (FIJ). 

A competição aconteceu em Colônia, na Alemanha, e contou com 110 atletas de 13 países diferentes. João enfrentou seis adversários e venceu todos por ippon, se consagrando como o primeiro campeão mundial de judô DI.

Apesar da importância do título, é a evolução de João que realmente vale ouro. Ele foi diagnosticado com autismo e com a Síndrome do X Frágil apenas aos 11 anos de idade. E hoje ele é atleta universitário.

“Lembro da época que meu filho João não conseguia nem amarrar seu tênis… E hoje eu vejo ele fazendo exercícios com alto grau de complexidade e ainda fazendo faculdade de fisioterapia”,

conta o pai, Giovanni Ferreira que, desde o nascimento de João, passou a se dedicar ao judô inclusivo como professor e embaixador da causa. 

“O judô traz um ganho excepcional para crianças com autismo. Eu tenho resultados incríveis de ganho de coordenação motora, de socialização. Tenho um atleta que é autista não verbal e até para a perna dele movimentar para frente eu precisava auxiliar com as minhas mãos. E hoje ele já está se movimentando sozinho. Isso é o principal. E tratar o autista não como alguém que precisa de sua pena, ou de um favor seu, mas tratá-lo como alguém que busca no esporte o que ele pode proporcionar”,. 

conclui
esporte paralímpico

Veja mais sobre Esportes para Pessoas com Deficiência


Fernanda Zalcman
Jornalista, curiosa por natureza e apaixonada por fazer a diferença. Encontrou no esporte um propósito: inspirar e dar voz à histórias e pessoas que por vezes estão escondidas. Porque todos importam e merecem espaço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

);

Quer receber novidades
de como a acessibilidade
está transformando o mundo?

Seu cadastro foi efetuado com sucesso.

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Guiaderodas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.